*Superplayer !!! *

quinta-feira, 30 de julho de 2009

*Qual é o seu tipo ?! *


*Gustavo G. Boog
* Racional ou emocional:

qual é o seu tipo?

Gustavo G. Boog (*)


Uma das grandes dificuldades nas organizações é o uso do “ou” ao invés do “e”. O


“ou” exclui e impõe rótulos, ao passo que o “e” inclui. A pessoa é técnica ou é gestora.


O profissional é lider ou liderado. Você é racional ou emocional.

Todos nós temos uma dimensão racional e outra emocional. Em geral, uma tende a


ser mais desenvolvida que a outra, e uma das grandes lições que temos que aprender


em nossa vida é a conviver e a equilibrar as duas dimensões. No livro “Crises”, que


escrevi com Maysa Marin, nós colocamos as características centrais dos dois tipos:

* Mental *

Agem intelectual e teoricamente/ usam a lógica


Tendência a viver no passado ou futuro

Usam fórmulas que deram certo no passado

Extremos (certo-errado/ bom-mau)

Modificam o meio em que vivem Gostam de desafios

Tendem a ser mais “frias”

Gostam de resultados palpáveis

Precisam estar no comando Evitam perder o controle

Temem ser passadas para trás

Diretivas

Cumpridoras



* Emocional *

Agem emocionalmente/ demonstram afeto


Tendência a viver o aqui-e-agora

Agem baseadas na situação

Tendem a ser impulsivas

Adaptam-se ao meio em que vivem

Dificuldades em dizer “não” e estabelecer limites

Tendem a ser mais calorosas

Gostam de promover as relações

São membros ajustados da equipe

Medo de perder o amor das pessoas

Agem de forma a persuadir

“Dão colo”

Oferecem o “ombro amigo”

* * *


É muito importante ressaltar que nenhum tipo é melhor do que o outro, ou tem mais


tendência ao sucesso e à felicidade. Os dois estilos guardam em si as possibilidades de


serem eficazes e conseguirem resultados muito positivos em suas vidas,


principalmente se estas duas características puderem ser integradas.


O livro “Opening Doors Within”, de Eileen Caddy, nos inspira a dizer que cada pessoa


deve entrar em sintonia com sua missão de vida e encontrar o seu “tom”. O


importante é achar aquilo que é seu, e não dos outros: nós gastamos brutais


quantidades de energia ao não aceitarmos como somos e deixando de aceitar como os


outros são. O termo aceitação muitas vezes é identificado incorretamente como uma


postura de passividade, quando na verdade aceitar é ter uma visão realista do que


ocorre e agir baseado nisto. Alguns são mais racionais, outros são mais emocionais e


cada um tem seus talentos e qualidades. É na diversidade de tons que se constrói uma


grande orquestra, que ficaria muito monótona se composta por instrumentos todos


iguais.


O mais importante é conhecer sua característica essencial, para poder usá-la como


uma ferramenta, conscientemente, e também para poder compreender o estilo


daqueles que o cercam, para uma melhor convivência. Para ampliar seu


autoconhecimento, responda à pergunta: você tem atitudes predominantemente


mentais ou reage mais como um tipo emocional?


(*) Gustavo G. Boog é Consultor e Terapeuta Organizacional, conduz projetos de


elevação da competência pessoal, grupal e empresarial. Fone (11) 5183-5187 E-mail







3 comentários:

Anne Lieri disse...

Fada,gostei demais do seu post!Muito interessante!Bjs,

Olavo disse...

Neste mês de agosto o blog esta em comemoração
E te convido a partipar durante todo o mês com a gente..
E para começar tem selo comemorativo lá no blog..
Abraço.

* Patty Meirelles * disse...

Categoricamente eu sou emocional.
Passando para deixar-te um beijo carinhoso e também para desejar-te um excelente fim de semana.
Patty